domingo, 30 de novembro de 2008

Obrigado pelos "miminhos"


A todos os nossos amigos que tão positivamente têm vindo a comentar o nosso trabalho, obrigado pelos vossos miminhos!
Ficamos mesmo muito felizes quando sabemos que andaram por cá!!!
Luz e meninos

sábado, 29 de novembro de 2008

Será a matemática assim tão difícil?


A semana decorreu muito bem e sem incidentes de maior. Eles são muito engraçados, calmos e já se organizam bastante bem sozinhos.
A massa de cores continua a ser uma das actividades que eles mais gostam e decidimos fazer bolinhos de natal porque o entusiasmo pela massa foi grande. Assim, temos mais um motivo para medir e pesar.
Já fizemos o presente para os pais, que correu bem. Fizemos um presépio com massa de modelar e portanto eles fizeram muito bem.
Na 6ª feira, aproveitámos o facto de ser o último dia do mês, para fazer contagens. Eles adoraram e passaram o dia a contar.
“Nós sabemos que as crianças são construtores activos do seu conhecimento matemático e que a sua actividade não é independente do ambiente educativo (Becker e Selter - 1996).
Por isso, na nossa sala, a matemática é muito importante.
Com o objectivo de reconhecer e interpretar problemas encontrados na vida diária, de traduzir esses problemas para um contexto matemático, de formular e comunicar os resultados, ontem, que foi o último dia de escola do mês de Novembro, contabilizámos as actividades do mês, enquanto os pequeninos de três anos se divertiam com massa de cores, que é uma das suas actividades preferidas.
Os meninos crescidos, de quatro e cinco anos, estiveram a observar, a contar, a registar e a interpretar os registos que, ao longo do mês, fomos fazendo no mapa do tempo e no das presenças. Foi, como sempre, um entusiasmo e a manhã acabou por passar bem depressa.
Começámos com a lengalenga dos dias do mês:
" Trinta dias tem Novembro,
Abril, Junho e Setembro
Vinte oito só há um,
E os mais são trinta e um."
Depois de repetir a lengalenga algumas vezes, e de a escrever no quadro, conseguimos finalmente descobrir que Novembro tem 30 dias. Com a ajuda do calendário, recontámos os dias para os confirmar(O Rodrigo conseguiu contar até 30), descobrimos que estivemos 20 dias na escola, e que ficámos em 10 dias em casa.
Depois fomos buscar o "gráfico do tempo", onde diariamente uma das crianças cola um quadradinho de cor diferente, equivalente ao tempo que observou no caminho para o Jardim de Infância, e constatámos que houve 12 dias de sol, 4 com nuvens e sol, 2 dias só com nuvens e 1 dia de chuva.
As conclusões não se fizeram esperar.
" A coluna do sol é a mais forte de todas porque tem mais quadradinhos" - Ibraíma
"Pois o sol é o maior. Está sempre a ganhar!"- Rodrigo
"Coitadinha da chuva, é mesmo muito fraquinha. É só uma..." - Leonardo
-Então e se nós juntarmos os dias que não foram de sol, acham que o sol ainda vai ficar á frente?- Perguntei
Acho que sim - diz o Rodrigo - porque as outras filas são muito pequenuchas.
Para termos bem a certeza, o Igor propôs que atribuíssemos um nº a cada quadradinho de sol. Foram numerados de 1 a 12. Os outros itens só foram numerados de 1 a 7. Como a Kyra e o Christ (4 anos), não conseguiram perceber o raciocínio dos mais velhos, acabámos por recortar todos os quadradinhos e colá-los apenas em duas colunas paralelas.
"Os do sol são mais"- Disse a kyra
"A fila do sol é a «mais maiorre»- Diz o Christ, que vem do Gana
No mapa das presenças, queríamos descobrir quem é que tinha faltado mais à escola e quem é que tinha faltado menos. Para isso percorremos, fila a fila a contar as bolinhas pretas referentes aos dias de falta. Descobrimos que o Igor, a Érica, o Pedro, a Lia, a Cátia e o André nunca faltaram à escola , e por isso tinham 0 faltas ou nenhuma, e que as meninas que faltaram mais foram a Denise e a Kyra...
Quando acabámos de contar as faltas, quisemos saber quantas faltas havia ao todo. Descobrimos que a conta era muito difícil de fazer porque os números eram tantos, que nenhum dos meninos os conseguia contar. Então o Leonardo lembrou-se "do jogo de fazer contas"(O Ábaco), e depois de se terem dividido em grupos de dois, recomeçaram a percorrer as filas de cada menino só que em vez de escreverem o nº num papel, empilhavam as peças equivalentes ao nº das faltas no ábaco. Fartaram-se de discutir, de argumentar, quem é que tinha mais peças, quem é que tinha menos, compararam alturas, contaram e recontaram as peças, enfim a discussão esteve acesa e, finalmente concluíram que a equipa que somou mais peças, foi a equipa Ibraíma/ Teresa que contabilizou 22 peças. E o mais espantoso é que com a ajuda do ábaco, e uma mãozinha minha, a equipa Igor/ Rodrigo, já conseguiu, em conjunto, chegar ao nº final de 61 faltas.
No final eles estavam tão felizes que levaram o resto do dia a brincar às contagens...
Mais uma vez pude constatar que a comunicação tem um papel fundamental na compreensão e que as crianças compreendem melhor se tiverem oportunidade de explorar tarefas, de partilhar experiências, de discutir, de confrontar as suas ideias e conclusões com as de outros, e de experimentar estratégias para a resolução de problemas.
A matemática está longe de ser "um bicho – de – sete - cabeças". Basta ver um grupo de crianças em interacção !!!”

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Estratégias


No grupo dos mais velhos, as letras continuam na ordem do dia. Agora, que se começa a falar de natal, o Leonardo pediu para escrever: "Pai Natal, vem depressa que eu tenho muitas saudades tuas", para ele poder transcrever para o seu desenho. Claro que os amigos se sentaram à sua volta e estiveram a transcrever ao mesmo tempo que ele.
A Mariana, uma menina de três anos, sentada na mesa ao lado, observou tudo com muita atenção. Quando eles deram a tarefa por terminada, e foram brincar para outro sítio, ela, muito sorrateiramente, foi buscar uma folha e pôs-se copiar a frase. Após muitas tentativas frustadas, porque não conseguia desenhar as letras, em vez de desistir, como eu pensava que ela faria, a Mariana, pegou na folha "modelo", onde eu tinha escrito a frase, e desenhou uma série de risquinhos paralelos, que depois "copiou" para a sua folha. Em seguida, com um grade sorriso, veio ter comigo e disse: " vês, Luz, eu também escrevi ao Pai Natal. Aqui diz: "Pai Natal, eu gosto muito de ti. Beijinhos da Mariana".
Grande Mariana!

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Letras e jornais...


Eles continuam intrigadíssimos com as letras e elas surgem por todo o lado.O Rodrigo escreve palavras, a Lia e o Leonardo filas de letras sem fim. O Igor quase que escreve frases, e o Rodrigo Simões, que é do grupo dos pequeninos, no meio de tanto entusiasmo, começa a rabiscar o nome.
E eu fico espantada com as descobertas e orgulhosa com as conquistas.
Hoje falámos de jornais. Quando perguntei se eles sabiam o que é um jornal e qual a sua função, as respostas surgiram prontas:
-Quem lê o jornal é o avô.- Diz o Rodrigo Machado
-O meu pai também lê, porque o jornal traz notícias do sporting.-André
-O jornal é feito por muitas letras que se podem ler- Diz a Lia
Como é que são as letras que se podem ler? Então as letras não são todas para ler?-Perguntei.
-São.- diz o Igor-Mas às vezes não se conseguem ler porque só escrevem coisas malucas.
- Para se lerem têm que estar muito juntinhas, mas juntinhas aos bocadinhos. Se não estiverem aos bocadinhos, não se podem ler porque não dizem nada, como aquelas que eu às vezes escrevo e tu não consegues ler.-Leonardo
-Quem sabe o que é que está escrito no jornal?-Pergunto
-Eu sei. Acho que os jornais falam igual ao telejornal. Dizem a mesma coisa. Mas só os pais e as mães é que gostam do telejornal. As avós não gostam muito. -Leonardo
-Eu acho que o jornal tem notícias do futebol.Quando o meu pai lê essas notícias fica sempre a discutir com os amigos. Eu não gosto que ele leia o jornal.- Igor
-A minha mãe é que lê o jornal. O meu pai só vê televisão. - Mariana
-Ó Mariana, tu estás enganada! Os pais é que lêem o jornal. As mães só lêem revistas -Leonardo
-O meu pai lê noticias do Benfica- Diz o Christ
-O Alex é do "Bichica"(benfica) - Alex
São um espanto, não são?

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Brincando com a matemática


Na nossa sala andamos muito entusiasmados com a matemática.
Estamos a aprender o nome das formas geométricas e vamos explorando e brincando com os blocos lógicos. Assim desenvolvemos as capacidades de discriminação e memória visual.Também nos ajudam a classificar formas geométricas e a conhecer as suas propriedades.
Começámos por os explorar livremente. Assim percebemos quais as suas principais caracteristicas e podemos organizá - los segundo as nossas próprias observações. Depois fizemos jogos de grande grupo em que adivinhámos quais as peças escondidas, jogámos ao jogo das diferenças,dos opostos, agrupamos segundo tamanhos, cores,formas e ainda vamos explorar as espessuras. No ginásio jogámos ao jogo das figuras e ao acerta na figura. Agora estamos a explorar as tabelas de duas entradas e para isso temos que classificar as figuras segundo duas caracteristicas. E sabem uma coisa, práticamente já todos conseguimos pensar bem e colocar as figuras no sítio certo.
Também construímos padrões, primeiro partindo de modelos dados, e agora já o fazemos livremente.
A Luz está muito contente com o nosso desempenho!...
Estamos a ficar mesmo muito crescidos!
Querem ver os nossos trabalhos?


segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Alimentção saudável


Hoje, no jardim de Infância, tivemos uma visita muito especial. A Drª Maria, que é a nutricionista da Câmara Municipal da Amadora, veio contar-nos uma história sobre alimentação saudável, e falar-nos da importancia da sopa na nossa alimentação.
Aprendemos muitas coisas; Como é que se faz uma sopa, porque é que a sopa é importante para a nossa saúde, falou das leguminosas, disse-nos que os legumes e as frutas são muito ricos em vitaminas e sais minerais,que as frutas e os legumes mais coloridos são os mais saudáveis.
Também aprendemos que as melhores sopas são as que têm legumes inteiros, que nos obrigam a mastigar, pois mastigar é muito, muito importante!!!
Por fim deu-nos uma notícia que nos deixou muito felizes. Explicou-nos que comer pizza também pode ser saudável pois a massa da pizza é feita com os ingredientes do pão e a pizza leva muito tomate queijo e outros legumes. Só não se devem comer as pizzas que têm muito chouriço e bacon.
E nós prometemos que a partir de hoje, nunca mais nos vamos esquecer de comer sopa inteira e de a mastigar muito bem, para ficarmos com musculos muito fortes na nossa boquinha.
Ah!... já me estava a esquecer, hoje, quando chegámos à mesa e vimos a sopa de espinafres, sentámo-nos com muito juízo, mastigámos os espinafres e comemos a sopa toda.
Ainda bem que a Drª Maria nos veio visitar!!!

domingo, 16 de novembro de 2008

Dia mundial do Mar

Para comemorar o Dia Mundial do Mar, trabalhámos a lenda do mar da autoria de Raúl Brandão. É uma lenda que me comove sempre. Querem saber como é?


A Lenda Do Mar
View SlideShare presentation or Upload your own. (tags: mar)

sábado, 15 de novembro de 2008

Baralhados...


A Sónia (estagiaria do 3º ano), preparou e contou a história do S. Martinho. A um dado momento contou que, "o S. Martinho encontrou um homem muito pobre, que andava a pedir esmola. Perante a palavra esmola eles olharam uns para os outros, como se não tivessem percebido o que era. No fim eu perguntei:"Filhos vocês sabem o que é esmola? ". O André, despachado como só ele sabe ser,respondeu prontamente: "Eu sei Luz;As molas é o que a minha mãe pôe na roupa!"
Ai, a Língua Portuguesa...

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Maria Castanha

Amanhã é dia de S.Martinho e como agora na nossa sala só se fala em fantoches, decidimos fazer o fantoche da Maria Castanha.
Distribuímos as castanhas, escolhemos dois botões iguais para os olhos, desenhámos o nariz,colámos a boca, cortámos, dobrámos, atámos e colámos os cabelos, colámos uma palhinha grossa atrás e o nosso fantoche ficou pronto. O Leonardo foi logo para a casinha dos fantoches brincar.
Hoje os fantoches ficaram a dormir na escola, porque amanhã é que é a grande festa, mas amanhã já vão connosco para casa.
Bom dia de S. Martinho para todos vós...

Como demorámos um bocadinho a editar a mensagem, o dia de S.Martinho passou e nós fizémos o magusto. Por isso também juntámos algumas fotografias da festa. Querem ver?


domingo, 9 de novembro de 2008

Um teatro de fantoches

O Igor escreveu a história da galinha que tinha medo de perder os filhos. É uma história muito engraçada e queremos mostrá-la aos outros meninos. Como é que a podemos mostrar?
-Podiamos fazer um teatro de fantoches.- Diz o Rodrigo.
É isso mesmo, vamos fazer um teatro de fantoches. E como é que vamos fazer isso? O que é que vamos precisar?
-Um "fantocheiro".- Diz o Leonardo
Como é que o vamos construir?
-Podia ser com um caixote.- Sugere a Leonor.
Fomos à arrecadação e procurámos a caixa que nos convinha. Com a ajuda da Sónia, cortámos, pintámos, colámos e "voilá",o nosso "fantocheiro" ficou pronto.
Depois foi preciso fazer os fantoches. Com os materiais de desperdício que tinhamos na sala já fizemos a mãe, um filho e o galo que ainda não sabemos bem que personagem será. Talvez venha a ser o dono do café e o motorista do autocarro que leva a mãe e os filhos à praia.
Este trabalho está a ser muito engraçado, mas ainda não tem o fim à vista. Vai ser muito bom continuar a trabalhar nele...


quinta-feira, 6 de novembro de 2008



O Igor está de parabéns, não está?...

Em maré de histórias...

Estamos sempre em maré de histórias...
Nunca nos cansamos de ouvir, nunca nos cansamos de contar...
Eu conto, eles ouvem, eles contam e eu gosto de ouvir.
Agora chegou o tempo de criar e as histórias que eles criam são o retrato vivo das suas vivências, do seu dia a dia. E eu consolo-me a ouvir...É fantástico como eles são genuínos e criativos. E eu pasmo perante a criatividade...
Que sorte tenho em poder conviver com eles cada dia!!!

domingo, 2 de novembro de 2008

Recomeço...

Tenho mesmo que recomeçar...
Está a ser um arranque difícil. Há qualquer coisa que não joga aqui...Não sei se é a cor, não sei se é o nome... Provavelmente são os dois...
Acho que descobri: O que não joga é provavelmente o facto de ter pensado nisto sózinha, esquecendo-me de pedir a opinião das crianças. E o blogue é feito a pensar nelas. Portanto vou perguntar-lhes e começo de novo!
Por aqui vou-me limitando a deixar comentários...nada de importante!!!