terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Preparando o Natal...

Agora que o Natal já passou, e que a adivinha que as crianças ofereceram aos Pais já tem solução, posso finalmente publicar o filme que mostra como é que na nossa sala preparámos o Natal.
Então aqui fica, com os nossos votos de um feliz Ano 2011. Que seja um bom ano e chegue carregadinho de coisas boas!
Luz e crianças da sala das Estrelinhas.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Feliz Natal

"Para todos os nossos amigos, votos de um Feliz Natal, cheio de Paz e de um Ano Novo carregadinho de coisas boas, todas as que mais desejarem."

Luz e crianças do Jardim de Infãncia de S. Bento/ Valejas

Natal


Menino dormindo…
Silêncio profundo.
Bem-vindo, bem-vindo,
Salvador do Mundo!

Noite. Noite fria.
Mas que linda que é!
De um lado Maria.
Do outro José.

Um anjo descerra
A ponta do véu…
E cai sobre a Terra
A imagem do Céu!

Pedro Homem de Melo


Imagem - “Árvore de Natal”
Realizada pelas crianças do Jardim de Infância de S. Bento /Valejas
Dezembro de 2010

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

"Um amigo é um bem"

Se um amigo é um bem, o que se poderá dizer quando eles são mais do que um, que dois, que três?
-Que é um tesouro! - Diogo, 5 anos
-E quem tem um tesouro como é que se chama?
-É um tesoureiro! - Ricardo, 5 anos
-Então é muito rico, quem tem um tesouro é muito rico! - Gui, 5 anos
Pois então nós somos mesmo muito ricos, pois temos um milhão de amigos. E a prová-lo estão as muitas surpresas que, ao longo do mês de Dezembro foram chegando à nossa sala. E foram mesmo muitas, que chegaram dos quatro cantos do país e do mundo.
Obrigado amigos, por nos tornarem mais ricos! E estejam atentos pois...
Então, de Viana do Castelo chegou:

Um livro lindo com a história de uma estrela que parece a nossa Twinkle, muitos bilhetinhos e um coração de Viana, que a Luz, porque é um bocadito vaidosa, adorou e que já está na bata ao pé do "L" Polaco e da Flor Açoreana. Não podemos mostrar mais fotografias porque a máquina era velhinha e avariou. Por sorte uma amiga tirou estas duas com o telemóvel...

E de Porches chegou...





Somos ou não somos muito sortudos?
Obrigado amigos!

Uma notícia muito triste...

Lembram-se da nossa Bisavó, aquela que em Maio passado nos veio fazer uma visita e que tão bem nos explicou como é que é viver quando já se tem muitos anos?
Nós nunca nos vamos esquecer dela, pois a sua visita marcou-nos para sempre.
Pois a nossa querida Bisavó adoeceu e teve que ir para o Hospital...
Querida Bisavó! Como nós queríamos que nada disto acontecesse... Como nós queríamos que estivesse bem!
O Diogo lá nos vai dando notícias, mas infelizmente ainda não são aquelas que queremos ouvir!
Querida Bisavó!

Como dizem que os desejos dos meninos têm muita força, juntos temos desejado que fique boa depressa!
Boas melhoras querida Bisa... Nós pensamos muito em si!

Feliz Natal

Com o Natal mesmo à porta, desejamos a todos os nossos amigos um Santo Natal, cheio de Paz e carregadinho de coisas boas, todas as que mais desejarem...

E porque queremos partilhar convosco algumas das coisas que mais gostamos, deixamo-vos dois filmes de Natal, carregadinhos de magia e que não nos cansamos de ver. O primeiro, do grande Walt Disney, "The nigth before christmas", de 1933, que eu vi no cinema pela primeira vez em 1960, tinha então 5 anos,  que me ensinou muita coisa sobre diversidade e tolerância,e ainda continua a encantar corações e o segundo "The magic Christmas star", um miminho "Forever friends" que nos faz lembrar a nossa twinkle!
Feliz Natal para todos! Oh...Oh...Oh!...



E também



Um Feliz Natal para todos!

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Amigos para sempre!

Ontem, a caminho do cinema.

Sem comentários...

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

De Luz e de Sombra!...

"De luz e de sombra" foi a actividade que  a Irina e a Inês, duas amigas nossas,do Departamento do Ambiente da Câmara Municipal de Oeiras, vieram  à nossa sala apresentar. Foi muito interessante, e obrigou-nos a pensar, a interagir, a criar, a experimentar e a descobrir coisas novas. Querem saber como foi?
A Irina e a Inês são muito amigas desde que eram assim tão pequeninas como nós somos agora e  sempre gostaram muito de brincar com as sombras, por isso a sua profissão é "ser sombristas" (Gui).
O seu desporto favorito é caçar sombras, e isso é uma coisa muito secreta!
Traziam consigo o "Kit das sombras", que é o material que lhes permite trabalhar com a luz e a sombra, e explicaram-nos que a  luz tem cinco segredos, que precisamente porque são segredos,não se podem contar a ninguém, só aos amigos que são mesmo muito amigos. Por isso nós sabemos que podemos contar-vos. Mas vejam lá o que fazem com eles... Têm que nos prometer que não os contam a ninguém. Olhem que é uma coisa mesmo muito secreta!!!
Então aqui vai:
O primeiro segredo que nos contaram foi que para haver sombra tem que haver sol ou uma fonte de luz.
O segundo segredo foi que os objectos opacos não permitem a passagem da luz, só os transparentes é que deixam passar a luz. Quando se põe um objecto transparente em frente à luz a sua sombra é branca. Se for um objecto opaco a sombra é preta.
O terceiro segredo foi que as sombras podem ter cores. Se o material colorido for transparente então a sombra tem a cor do material.
O quarto segredo é que as sombras podem ter textura. E para que eles conseguissem perceber a sombra foi feita com materiais de diversas texturas, como sacos de batata, uma bola, tecido de cortinados...
E por fim o quinto segredo, que é o mais secreto de todos, é que para juntar materiais bons, daqueles mesmo fantásticos para fazer sombras, não é preciso ir às compras nem nada disso, basta abrir bem os olhos e estar com atenção ao que nos rodeia e  com certeza que vamos encontrar tudo aquilo que necessitamos para fazer sombras fantásticas.
Então para ser "sombrista" apenas precisamos luz e de um Kit sombrista, que é composto por uma mala com cartolinas, canetas, uma tesoura e materiais diversos. A mala deve ser grande pois tem que levar todas as sombras que se conseguirem caçar.
E como é que se pode ser caçador de sombras? Bom, isso não é nada fácil, porque as sombras podem ter muitas formas, podem parecer muitas coisas e como estão sempre a mudar de sítio, são muito difíceis de apanhar. As nossas "sombristas" aprenderam a caçar as sombras na Amazónia, que é uma terra que tem muita luz do sol e "que é o pulmão do mundo porque produz muito oxigénio" - (Diogo).
E como é que se faz?
Bom, quando o sol aparece e se forma uma sombra, vamos buscar um bocadinho de cartolina, uma caneta e começamos a cantar uma canção muito calminha, para distrair a sombra. Quando a sombra se distrai e fica parada, coloca-se o papel debaixo da sombra, desenha-se a sua forma com a caneta, corta-se e depois é só decorar a sombra e ficamos com um fantoche fantástico. Querem ver como é?...


Então gostaram das nossas sombras?
Esta foi a primeira actividade  do nosso novo Projecto Etwinnig, "Science is all around us" e que começará em força em Janeiro de 2011, o Ano Internacional da Quimica.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

RE: E agora?

Amigos
Muito obrigado pelas vossas soluções, todas muito viáveis e interessantes, mas acabámos por encontrar uma solução boa para nós.
Como já vos dissemos as bolachas eram 12, as pessoas que queriam comer as bolachas 27, as bolachas eram todas diferentes e o objectivo era dividí - las em partes iguais, o que parecia difícil pois as bolachas de baixo eram muito maiores que as de cima. Começámos a resolução do problema por tentar descobrir se havia algum número que multiplicado desse 27. Para isso fingimos que eramos bolachas e formamos grupos de dois meninos - duas metades da bolacha, mas não dava 27. Juntámos depois mais um menino a cada grupo, o que queria dizer que tínhamos que partir a bolacha em 3 e com 9 grupos conseguimos o nº 27. Percebemos que se partíssemos 9 bolachas em três bocados, cada meninos comia um bocado. Mas assim sobravam 3 bolachas. Decidimos assim que seriam as mais pequenas. E o que fazíamos com elas? Bom, uma era para o Gustavo porque ele tinha partilhado a árvore connosco e as outras duas eram para as primeiras pessoas que nos visitassem...
Eram muito boas as bolachinhas, uma delícia!
Muito obrigado, Mãe do Gustavo e espero que um dia nos possa ensinar a fazer estas bolachinhasporque ficámos com muita vontade de comer mais!

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

E agora?...

Hoje deparámo-nos com um novo desafio, para o qual ainda não encontrámos solução...
Logo de manhãzinha o Gustavo Martins trouxe-nos um presente de Natal.  Era uma árvore de Natal, feita de bolachas em forma de estrela e a massa era de pão de gengibre e massapão. Um apetite!... Ele, com os olhitos a brilhar de felicidade entregou-me o saco e disse com o seu jeitinho despachado:
"É para partilhar com todos e temos que comer hoje."
 Mas acabámos por não comer... Querem saber porquê?

(Olhem lá se não é mesmo um apetite?)


Eles gulosos como são ficaram logo muito entusiasmados. Surgiu então o problema...
"Como é que acham que podemos dividir a árvore?" - Perguntei
"Damos uma bolacha de estrela a cada um" - Sugeriu o Hugo
("Eu quero a "mais do fundo" de todas!"- Disse o Rodrigo que não é nada pateta...)
"Está bem. Mas primeiro vamos contar as bolachas, os meninos e os adultos, para ver se chega."- Disse eu com a minha mania das igualdades.
E contámos, mas só havia 12 bolachas e nós somos 27. Como é que vamos resolver o problema?
"Isso é fácil, faz-se como em casa da minha avó quando as coisas não chegam. Partem-se ao meio e já ficamos com mais"- Sugeriu o Gonçalo.
Então, para ver se chegavam, agarrámos num papel e fizemos as contas...

                        

(Não, não são borboletas. São as bolachas partidas partidas ao meio e as bolinhas na ponta do risco são os meninos que comem as bolachas. As 3 bolinhas no fundo sou eu, a Ivone e o Leandro que hoje não veio à escola)
Mas mesmo assim não chega. Partindo as bolachas ao meio ficamos com 24 meias bolachas (e o Rodrigo continua a querer a do fundo) e nós somos 27, portanto não chegam. E se as partirmos em três padaços ficamos com 36 pedaços e vão sobrar muitas, mas não as suficientes para todos repetirem outra vez. E agora?
Acabámos por não comer a árvore de Natal. Vamos ver se amanhã conseguimos resolver o problema, porque as bolachinhas cheiram mesmo muito bem e apetece mesmo comê-las...
Será que por aí há alguem que nos possa ajudar a resolver este problema?

 

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Maria Carolina...

Maria Carolina é o nome do anjo que preparámos para o concurso de Natal, proposto pela Câmara Municipal de Oeiras.
O desafio era, partindo de uma estrutura em ferro disponibilizada pela Câmara, construir um anjo com materiais reciclados e de preferência em plástico.
Decidimos aceitar o desafio e depois de mais de uma semana de trabalho exaustivo, aqui está o nosso anjo.
Para além da estrutura usámos, plástico de forrar paletes de carga, cedida por uma empresa de plásticos de Massamá, com que preenchemos a estrutura de ferro, fizemos o vestido e as asas. Usámos também restos de relva sintética e sacos de lixo de várias cores.
E como somos a sala das estrelinhas, decidimos pôr-lhe na mão uma réplica da nossa twinkle.
Então gostam da nossa Maria Carolina? E já agora, sabem porque é que se chama assim?
Chama-se assim porque a Maria e a Carolina, que estavam na nossa sala o ano passado e que agora já estão no primeiro ano, que vêm muitas vezes visitar-nos, quase que se zangavam porque queriam que o anjo tivesse o mesmo nome que elas. Então para evitar zangas e porque o Natal é um tempo de ser feliz e não é tempo de zangas, decidimos dar-lhe os nomes das duas e elas ficaram muito felizes. E até nem ficou nada mal para um anjo. Portanto aqui vos deixamos o nosso anjo Maria Carolina. O anjo que irá representar o nosso jardim. Acham que vai ser um bom representante?


Aqui está a nossa Maria Carolina em tamanho Natural. Ela é quase da altura de uma pessoa adulta!



Outro ângulo da Maria Carolina


As asas da Maria Carolina...


As meninas que foram responsáveis pelo seu nome!

Então gostam da nossa Maria Carolina?

domingo, 5 de dezembro de 2010

Pé ante pé, vem chegando o Natal...

Podem não acreditar, mas na nossa sala o Natal vai chegando e as surpresas não param de acontecer.
Há uns dias chegou, de Lublin, uma encomenda  mandada pelos nossos amigos Polacos . Vinha carregadinha de coisas bonitas, muito diferentes das que temos por cá. Querem ver o pedacinho do Outono Polaco que a encomenda trazia?


Mas as surpresas ainda não ficam por aqui. Na sexta-feira, estava a manhã a começar, quando a Claudia chegou à nossa sala com um grande caixa que encontrou à porta da escola, e que era para nós. Trazia uma carta que nós gostámos muito e que vinha assinada pelo Pai Natal. Foi assim que aconteceu:


Estão a ver porque é que temos muita sorte?
E como as crianças ainda não sabem ler, (Hugo este bocadinho final não podes ver!),posso dizer a verdade... Assim deixo aqui o meu imenso obrigado aos Pais do Rafael que , fazendo de Pai Natal, nos  ofereceram  este forninho que tanta falta nos fazia aqui na sala. Quantas actividades novas podemos realizar a partir de agora!!! Muito, muitíssimo Obrigado!

sábado, 4 de dezembro de 2010

Natal

Sem grandes sobressaltos, sem pressas e mansamente vai chegando o Natal...


Natal

Um dia é um anjo,
no outro o Menino,
ovelhas, pastores
Árvores a brilhar...


É tempo de cor,
Sabor a magia,
São mil sons e cheiros,
Tempo de sonhar!

Tempo de partilha,
De pensar nos outros,
De ir ao encontro
E sem hesitar

Acolher a todos
Ser feliz, amigo,
Ser como um abrigo,
Todos abraçar!

Natal hoje e sempre,
Natal dia a dia,
Natal é poesia,
É tempo de amar...

Pra todos os que nos visitam, votos de um Santo Natal!

Uns sapatos muito especiais...

A nossa Mafalda, que é uma princesa, e que gosta muito de estrelas, chegou à escola muito feliz porque tinha umas botas muito especiais, e não descansou enquanto não as mostrou e eu não lhes tirei uma fotografia. Querem saber porquê? Então olhem...
Isso mesmo, as botas da Mafalda têm a sola cheia de estrelas!!!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

As nossas flores...

Parece que as nossas flores andam a intrigar os nossos amigos... Que flores são estas? Porque é que uma está a rir e a outra a chorar?

Bom, estas flores já não são novas, já são do ano passado e são...(Isto é um segredo), elas são mágicas!
Então vamos lá explicar:
Como apareceram? Estas flores foram criadas por nós, no âmbito do "Programa de promoção de competências pessoais e sociais", mais conhecido pelo "Nino e Nina" promovido pela Câmara Municipal de Oeiras em parceria com a Associação Prevenir.
Um dos itens do programa era a criação de regras de conduta em contexto de sala de aula e na nossa sala, para representar as regras, criámos duas flores. Uma triste, quando não cumprimos as regras acordadas entre nós e uma feliz porque conseguimos cumprir.
E porque é que não são do mesmo tamanho? Vamos explicar. Cada uma das flores tem escrito nas folhas o que nós achamos importante para que o nosso dia corra bem, como por exemplo: Estou feliz se os meninos falam baixo dentro da sala, ou estou triste se os meninos correrem dentro da sala...
Todos os dias, no fim do dia, no tempo de avaliação nós analisamos como é que o dia correu. Se correu bem, o chefe da sala pinta uma flor amarela. Se correu mal pinta uma flor azul e coloca-a no painel junto ao mapa das presenças.
E porque é que são mágicas? Porque elas crescem consoante nós cumprimos ou não as regras. Se no fim da semana tivermos mais flores amarelas, então a flor amarela fica mais alta. Se tivermos mais azuis, fica mais alta a azul. O objectivo é que a amarela seja sempre a maior e, felizmente, desde que criámos as nossas flores, só três vezes é que a flor azul foi mais alta. Então amigos já perceberam agora qual é a função das nossas flores?
Bom fim-de-semana para todos vós!
Meninos da sala das estrelinhas

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Comer bem para viver melhor...

Este era o nome da actividade que o Departamento do Ambiente da Câmara Municipal de Oeiras veio desenvolver connosco. Quem dirigiu a actividade foi o Hugo, que conversou muito connosco e também fez alguns jogos. Este é um tema muito trabalhado na nossa sala, mas que nunca é demais ouvir e pensar acerca dele.
Querem ver como foi?


                                              O Eco conselheiro Hugo a conversar connosco

Os cartões com os alimentos

A Roda dos alimentos

Ainda a roda dos alimentos
                                                   Com que é que se pode fazer uma sopa?
                                                         A nossa sopa no caldeirão

Muito obrigado Eco-conselheiro Hugo! Foi muito bom ter passado a tarde consigo!