sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Momentos difíceis...


Hoje tive uma notícia  triste…
Soube que um dos meus antigos alunos está doente, bastante doente.
Estou triste… perdida….
Doí-me o peito…  
Doí-me a alma…
Esta é uma história que já vivi algumas vezes ao longo destes meus 44 aos de educação de infância, mas o sentimento é sempre o mesmo…  Tristeza, impotência, desespero…  Fico perdida, desfeita, devastada. Que triste estou!
Cada vez que algum deles adoece, a minha alma adoece também.
Cada vez que um deles parte, um pedaço da minha alma parte com eles…
Dói, dói muito, dói fundo… Dói... Dói... DÓI!!!
Ainda não consigo acreditar que aquele menino de 4 anos, alegre, feliz, criativo, que sabia sempre o que queria, que fazia tantas traquinices, que falava de coisas difíceis como se fosse um rapaz  crescido, que me dava uns abraços tão saborosos, tão generosos, tão doces, que tinha tanto talento para lidar com as novas tecnologias numa altura em que as escolas ainda estavam pouco equipadas, que rejubilava  quando eu levava o meu computador para ele fazer as suas “posquisas”, que gostava de brincar “aos cães”, sempre a explicando que, quando a mãe chegasse, não podia brincar mais porque tinha que ir para casa e a mãe não queria lá animais, que me fazia mil perguntas sobre o que é viver ou o que é morrer, que me afirmava que eu, um dia, ia morrer, porque a avó dele tinha morrido e o pai lhe tinha explicado que um dia todos morrem, que me pedia para lhe desenhar um avião porque queria ir ver a avó ao céu, aquele menino está doente… Não dá para acreditar. Estou triste, triste, tão triste!
É nestes dias que eu queria ser uma fada, ter uma varinha mágica, ou poderes especiais para poder mudar o curso da vida… É nestes dias que eu queria ter qualquer poder magico, para afastar  dele este mau momento. 
Estou triste, tão triste... E dói, dói muito, dói profundamente!...

Meu lindo menino, meu menino de ouro, menino do meu coração, penso em ti mais do que nunca, em cada momento, numa espera ansiosa e assustada e rezo, rezo muito, na esperança que através da minha oração se possa mudar o rumo horrível das coisas e tu consigas, rapidamente, superar este mau momento. Rezo por ti meu lindo… Rezo…
Entretanto quero que saibas que eu ainda estou aqui para ti, vou ficar sempre aqui para ti e digo-te, como dizia quando tinhas quatro anos, caías no recreio, esfolavas os joelhos e choravas no meu colo… Vai passar meu lindo, vai passar!

Sem comentários: