sábado, 29 de maio de 2010

Gerações diferentes, corações iguais.



Ontem tivemos um dia muito especial. A Bisavó do Diogo veio passar a manhã connosco.
E porque os opostos se atraem, mesmo com uma grande diferença de idades, eles entenderam-se como ninguém. E eu, mera espectadora, vi aquela simbiose de afectos fluir, sem nada que a pudesse verdadeiramente travar ou afectar.
Comoveu-me, e penso que a Ivone e o Tio Sebastião, também presentes, sentiram a mesma coisa. Comoveu-me a delicadeza mútua, a atenção, o carinho e a passagem de testemunho que presenciámos naquele momento. A Bisavó é Educadora, mãe de nove filhos, tem netos e bisnetos, quantos não sei, pois não houve tempo para conversas do dia-a-dia. E as crianças absorveram toda aquela paz e aquela sabedoria que só "os muitos anos", parecem ser capazes de nos proporcionar.
A bisavó estava cansada, confessou-o à chegada, com uma simplicidade que os levou a respeitar esse cansaço. Depois falou do que é ser velho, a sua realidade. Explicou que se dorme pouco e a horas em que normalmente não se quer dormir, que se tem pouca memória, que se está sempre a chorar, muitas vezes de felicidade e de emoção, e que o corpo já não consegue obedecer ao cérebro e ao coração. E tudo isto de uma forma lúdica que os cativou, ou não fosse a bisavó Educadora. Ela explicou que tem um dedo mágico, mas que o dela, porque já é velhinho, anda sempre adormecido. Este dedo mágico sempre adivinhou tudo, mas hoje, não se queria levantar e por isso estava a fazer uma birra, que é uma coisa muito feia para se fazer, e por isso duvidava que a ajudasse a adivinhar o nome dos meninos. E para o provar começou a lançar nomes ao calha o que os fez rir a bandeiras despregadas.
As crianças queriam saber como é que eram as crianças quando a Bisavó era pequenina, mas ela explicou-nos que não se lembrava muito bem e por isso não podia explicar. Em vez disso contou-lhes uma história da sua infância, a história do coelhinho branquinho, que eles até já conheciam, mas que adoraram ouvir na nova versão.
Agora uma palavra aos meninos, que se portaram melhor que muita gente grande. Ouviram, perguntaram, explicaram, partilharam, absorveram e eu estou muito orgulhosa deles. As nossas crianças são fantásticas! Que sorte eu tenho por poder estar com eles todos os dias.
Uma palavra também para o Diogo, que me comoveu pela sua delicadeza e a sua sensibilidade. Quem diria que o nosso Diogo, travesso e brincalhão, seria capaz de um cuidado assim com uma pessoa idosa. Parabéns Diogo, estás um homem!
Parabéns também aos outros amigos, que se portaram muito bem. Ontem fizeram-me muito feliz, e mais uma vez me fizeram sentir que, valeu a pena viver até aqui, só para presenciar um momento destes.
Parabéns também aos Pais, pelos filhos que têm, e muito obrigado por mos confiarem.
E à Bisavó um imenso obrigado. O dia de ontem foi um dia especial, pois, com certeza marcou para sempre a vida destas crianças. E pode voltar sempre que quiser, pois será muito bem-vinda!
Ontem vivemos um dia em cheio, um dia muito feliz! Ontem tivemos uma grande lição,foi uma lição de vida!

12 comentários:

Ro... disse...

Que experiência mais linda, Luz!
Sentimo-nos comovida, com o coração terno em cada palavra tua, como se fosse possível estar junto, pertinho do colo desta avó...
Mil beijos de NICE e da RO

Projecto, "Leitura ao centímetro" disse...

Como é de louvar os encontros entre as gerações :) E sim, a escrita bem tocante no coração de cada um de nós. Belíssimo texto. Adorámos ao centímetro cada frase. Beijinhos para todos vós.

Isabel Preto disse...

Maravilhoso, Luz! Simplesmente. Lindo! Apetece dar beijinhos nessa avó.

Xinha disse...

Mas que visita tão boa...para o Diogo, para a bisavó, para todos os meninos e para a Luz!
Será que um dia vamos nós contar uma história à sala dos nossos bisnetos?
Beijinhos da Xinha

Anabela Santos disse...

Estou encantada!
Encantada com a bisavó e com o bisneto.
Encantada com o contexto e com o texto.
Beijinhos

Prof. Anabela
BLOGando na Escola

Rita disse...

Muito obrigada por ter proporcionado este dia inesquecível ao meu Filho e à minha Avó. Fiquei muito comovida com o texto e com as imagens. Neste breve instante viagei aos meus tempos de infância, às histórias da minha Avó e aos tempos em que o dedinho mágico (na sua plena forma) adivinhava tudo! OBRIGADA, Rita

Gabriela disse...

Luz, tanta ternura enche-nos o coração!
Parabéns pelo teu trabalho e felicidades para todos
Bjs gabriela

rosarinho disse...

Parabéns Luz, pela sensibilidade com que nos transmitiste essa experiência tão enriquecedora!
beijos da Rosarinho

Cristina Lares disse...

Todas as palavras serão poucas para descrever o que senti ao ler este post. Parabéns pela sensibilidade, pela ternura...e tantas outras coisas que sempre nos proporcionam

sandra coelho disse...

Parabéns. Este encontro de gerações é de louvar. Verifica-se, mesmo pelo estrangeiro a construção de equipamentos que conjugem centros de dia para idosos e infantários por forma a proporcionar-se esse convívio de gerações.

M. Jesus Sousa (Juca) disse...

Não é preciso dizer mais nada... lindo!

Margarida Figueiredo disse...

Mas que dia inesquecível e que experiência maravilhosa, em que todos puderam partilhar a sabedoria e o encanto da bisavó do Diogo. Porém, não duvido que a bisavó também rejuvenesceu e se maravilhou com a perspicácia e espontaneidade dos nossos amigos de Valejas.
Parabéns a todos, muito especialmente à Luz que ao longo do anolhes tem proporcionado tantos e tão bons momentos. Beijinhos