terça-feira, 30 de dezembro de 2008

E para um grande final...


...Para um grande final, conto como se passou a nossa última semana neste primeiro período.
Como as actividades, as novidades e as surpresas foram muitas, só podemos contar resumidamente, mas mesmo assim queremos contar. Então vamos lá...
A 3ª semana de Dezembro foi uma semana muito cheia de actividades. Assistimos a uma peça de teatro,"De onde vêm as palavras más". Fizemos bolinhos de Natal para nós e para os nossos pais, recebemos um presente lindo dos nossos amigos do JI de Rio Côvo em Barcelos, fomos à festa de Natal que a Junta de Freguesia da Brandoa nos preparou, levámos os presentes de Natal para as nossas famílias e também recebemos alguns presentes. Resumindo, foi uma festa.
Querem ver como foi? Então olhem com muita atenção...


segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Para ti, de todos nós!...


Com mais um Ano a acabar
Outro Ano novo começa...
Um Ano novinho em folha,
com muitos dias à estreia,
todos juntos, em cadeia
e amena sucessão.
Que maravilha!...

Mais um Ano. Muitos dias…
Faz medo vê-los correr…
Corrida vertiginosa,
toda feita de momentos,
e instantes desiguais.
É por demais valiosa,
e de tal forma preciosa
que não se pode perder…

…Sucessão louca de dias,
todos em branco, novinhos,
à tua espera, cheiinhos
de surpresas, e não só!
E se os viveres com cuidado,
amando quem passa ao lado,
será um ano a valer.

Feliz 2009
Luz e Meninos

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

"Cozinhando uma história"....

Na segunda feira, aconteceu uma coisa muito estranha. No cantinho da leitura estava uma panela antiga,muito pesada, uma grande colher de pau, um avental aos quadradinhos azuis e uma mensagem que dizia assim: "Olá meninos, eu sou a cozinheira de histórias e preciso de uma história de Natal muito fresquinha. Têm aqui os utensílios necessários para a escrever. Tudo o que precisam é de descobrir quais são os ingredientes das histórias de natal, deitá-los dentro da panela, misturá-los bem, dizer as palavras mágicas e deixar a panela a descansar uma noite. Vão ver que história bonita são capazes de fazer nascer".
Ficámos todos entusiasmados e decidimos logo ali dar início ao trabalho.
Cada menino disse um ingrediente de natal, deitámo-los para a panela, misturámo-los bem com a colher de pau e pusémos a panela a descansar no cantinho da leitura.
No outro dia, logo de manhãzinha, mal chegámos à sala, fomos a correr ao cantinho da leitura, mas não tínhamos história nenhuma. No seu lugar estava um livro em branco que, na primeira página, tinha outra mensagem, só que desta vez estava escrita com umas letras gordas que ninguém conseguia ler. Depois de todos a observarem bem, o Leonardo sugeriu que procurássemos um menino grande porque aquelas letras, pareciam as letras que os meninos grandes escrevem nas paredes e que, segundo o seu Pai diz, só eles é que conseguem ler.(Grafitis). Tivemos sorte, porque o irmão do Christ, que já "é um bocado grrande", como diz o Christ, estava a chegar e traduziu - nos a mensagem. Esta dizia que, como nos tínhamos esquecido de dizer as palavras mágicas, agora tínhamos que ser nós a escrever a história no livro.
Desde aí tem sido uma azáfama. Todos querem escrever uma história no livro. Temos escrito tanto que ele já está quase cheio. E em conjunto, no tapete criámos mesmo uma história redonda sobre o natal. Estamos a preparar um Power point, que quando estiver pronto, publicaremos aqui no blogue. Por agora vamos apenas publicar as fotografias da actividade. Querem vê-las?




Então, gostaram das nossas histórias?

domingo, 14 de dezembro de 2008

Boas Festas


Aos amigos que nos visitam regularmente desejamos um Natal cheio de Paz e um Ano Novo carregadinho de coisas boas, todas aquelas que mais desejam.
Luz e Meninos da sala 4 do JI Brandoa 2

Da discussão nasce a luz...


O Rodrigo Simões, de 3 anos, passou uns dias de férias em Moura, com o Pai. Regressou na sexta-feira,muito mais crescido, muito feliz e carregadinho de coisas novas para contar.
Contou que lá na casa de Moura tem «um cão, outro, e mais outro. Lá em casa temos três "cãos"», e que em Moura há muitos animais. A "Ti Gracindinha", tem mais de dez galinhas que comem milho amarelo, couves e que depois põem muitos ovos redondinhos.
Também nos contou que viu um porco cor de rosa, mas que estava todo sujo e parecia castanho. Então perguntou aos amigos: - Sabem porque é que ele se chama porco? Porque se rebola na lama.
A Érica, de três anos, que recentemente esteve na Vidigueira com os pais e os avós não concordou e prontamente explicou que eles se chamam "pôcos", porque "cheilam" mal, e que "cheilam" muito mal "poque" nunca lavam " o labo".(l=r)
A Lia também quiz falar e disse que já tinha visto um porco a comer e que ele era porco porque comia com os pés dentro do prato da sopa.
Então o Leonardo, com toda a sabedoria que os seus cinco anos lhe permitem, e fazendo valer o seu papel de mais velho explicou que os porcos não eram nada porcos, porque ele já tinha ouvido dizer na televisão que os porcos são animais muito limpos e que só se sujam todos porque têm a casa toda suja, pois os donos não lhes limpam as casas. Também lhes disse que se eles se rebolam na lama é porque são como os elefantes, que se rebolam na lama para se protegerem das moscas e do calor.
Muito bem Leonardo, sabes mesmo muitas coisas!!!

sábado, 6 de dezembro de 2008

Integração ou o milagre da diferença.


Semanalmente, quando faço a avaliação, costumo escrever aquilo que mais se destacou das actividades ou do trabalho da semana.
Esta semana, aquilo que mais se destaca é, sem dúvida, o "salto" que o Ibraíma deu, no seu relacionamento com os adultos e com os pares.
O Ibraíma, de 5 anos, está na nossa sala desde os três. Chegou da Guiné Conacry, sem dominar uma única palavra de Português. Tinha a sola dos pés calejados, como quem está habituado a correr em liberdade e, assim que chegava à sala, tirava os sapatos, as meias e as calças e saltava pela janela, como se o espaço da sala de aula fosse demasiado pequeno para ele.
Como não conseguia comunicar, chorava e batia nos outros meninos... Que difícil foi!
Pouco a pouco, com muita paciência, muito carinho e a ajuda dos amigos, começou a comunicar mas, como em casa só se fala "fula", um dialecto tribal,a aprendizagem da língua tem sido muito complicada.
O Ibraíma é uma criança instável e um bocadinho agressiva. Tem uma fraca auto estima e raramente está feliz. Quer sempre ser o primeiro e o único e, se lhe digo que não, e muitas vezes tenho que lhe dizer, porque a vida também é composta de nãos, fica insuportável.
Já começava a desesperar de conseguir uma integração plena, quando chegou o nosso milagre. Chama-se Carlos,é multideficiente e depende totalmente de nós, pois não fala, não se senta, vê mal, não se mexe sozinho, não controla os esfinctares e é alimentado por sonda.
Quando o Carlos chegou, lembrei-me que esta podia ser a oportunidade ideal para que o Ibraíma se sentisse indispensável. Assim, propus-lhe que fosse o padrinho dele e expliquei-lhe que o padrinho é aquele que ajuda, que cuida e que nunca pode abandonar. Ouviu com muita atenção, adorou a ideia e leva-a muito a sério. Pouco a pouco foi perdendo a sua agressividade e até já fala um bocadinho melhor. Tem-nos estado a ensinar Fula e parece outra criança,pois está muito mais crescido e responsável. E ontem...
Ontem o milagre funcionou... O Carlos não veio e eu, para ocupar o Ibraíma, pedi-lhe ajuda. Ele sentou-se ao pé de mim e, vindo do nada, começou a contar como era a sua casa em África, como era pequena, não tinha chão, nem casa de banho, que perto havia um rio pnde moravam muitos corcodilos e muitas, muitas coisas...
Foram precisos três anos, carradas de paciência e um menino deficiente profundo a necessitar de ajuda, para finalmente o ver aberto, seguro e feliz!!!
Perguntei-lhe se queria contar estas coisas aos amigos. Respondeu que não. Há que esperar e respeitar...
Espero que ele o consiga fazer. Acho que lhe ia fazer bem... O que será que o impede?
E se ele contar, tenho a porta aberta para, com eles, explorar o mundo e os povos que nele vivem.
"Vamo vê...", como diz o Alex de 3 anos.
Por agora, tudo o que quero é que eles, todos eles, sejam felizes!!!

Os nossos presépios...


Já lá vem,já lá vem,
O Natal já está à porta.
Que alegria, que alegria,
Não há outro dia igual
Boas festas, boas festas
para todos este Natal,
para todos este Natal.
(Canção Infantil)

Com o Natal à porta, a vontade de viver um Natal diferente e a certeza que era preciso envolver os pais nesta vivência que queríamos que não fosse consumista, mas voltada para os outros, o Agrupamento lançou um desafio às famílias e às escolas: Construir um presépio com materiais reciclados,que ficará em exposição até dia 18 de Dezembro e que mais tarde será encaminhado para instituições de apoio social.
No nosso Jardim de Infância,as 4 salas construíram um em conjunto e 10 famílias, das 90 que temos, responderam ao apelo.
Aos pais que "ganharam tempo" criando com os seus filhos, um presépio para oferecer, um IMENSO OBRIGADO e PARABÉNS. Os vossos trabalhos ficaram lindíssimos.


quarta-feira, 3 de dezembro de 2008




No nosso Jardim de Infância estamos a preparar o Natal e mesmo à entrada fizémos um presépio.
Querem ver como ficou?
O cestinho de outono que está ao pé do menino Jesus, foram os nossos amigos do JI do Cruzeiro, em Viana do castelo que nos enviaram, e como é muito bonito, nós quisemos pô-lo mesmo ao pé do Menino Jesus.
Boas Festas para todos.
Luz, Sónia e Meninos